Região de Rio Preto produz 50% das portas e janelas de aço do país

14/05/2014



A região de São José do Rio Preto (SP) é responsável por 50% da produção no Brasil de portas e janelas de aço e a demanda não para de crescer, tudo por causa do mercado imobiliário que está em alta. Mas com o crescimento da atividade no país, foi necessário criar leis para regulamentar o setor.

O ritmo em uma fábrica de Neves Paulista (SP) é acelerado: são fabricadas duas mil unidades, entre portas e janelas de aço, por dia. Em um ano, o faturamento cresceu 7%. “Estamos hoje na terceira posição no ponto de vendas em São Paulo e cada vez mais tem a perspectiva no aumento de vendas e de colaboradores”, afirma Argil Messias Costa Filho, gerente de marketing da fábrica.

Os números ajudam a transformar a região de Rio Preto no maior polo de produção de esquadrias de aço do país. “Essa concentração de novos imóveis, novos lançamentos, isso tudo ajuda que a produção aumente e o maior número de fábricas está no noroeste paulista, então elas são beneficiadas diretamente”, diz André Freitas, presidente executivo da Afeaço.

 

O boom imobiliário dos últimos anos, claro, ajudou a aquecer o mercado, e a demanda tão grande forçou uma regulamentação no setor. Mudanças na legislação, no ano passado, tornaram mais rígida a fiscalização sobre tudo o que chega ao consumidor.

Na hora de comprar uma porta ou janela, os produtos com certificação de qualidade recebem selos. “Hoje, quando o consumidor vai comprar um eletrodoméstico, ele sabe que se não escolher direito vai doer no bolso dele, e com a porta de aço também é a mesma coisa. Com este selo ele saberá que o material é de boa procedência”, afirma Freitas.

Em outra empresa, de Mirassol (SP), muita coisa mudou, do processo de fabricação dos produtos, que agora passam por uma série de testes, à capacitação da mão de obra. “Tivemos de investir pesado em treinamento, não consigo entregar um produto que atenda a norma se eu não treinar bem meu funcionário”, afirma Fábio Brito, gerente de qualidade.

Melhor para o consumidor, melhor para as empresas que trabalham dentro da lei. Com uma lista de clientes maior, o quadro de funcionários precisa ser reforçado. “Tivemos de readaptar o quadro e houve a necessidade de contratar novos profissionais”, afirma Argil.

*Matéria elaborada pela TV TEM e reproduzida na íntegra diretamente do portal G1.


Para visualizar o vídeo da reportagem completa, acesse o link: http://g1.globo.com/videos/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/tem-noticias-2edicao/t/edicoes/v/regiao-de-rio-preto-produz-50-das-portas-e-janelas-de-aco-do-pais/3340069/

design e desenvolvimento Diginova - Sites e Sistemas | Hospedado por iSimples